quarta-feira, 27 de abril de 2011

QUIMIOTAXIA - DEFINIÇÃO

A Quimiotaxia é um processo pelo qual se obriga células a mexerem-se através de um estímulo químico. Quimiotaxia é o nome dado ao processo de locomoção de células em direção a um gradiente químico. A quimiotaxia pode ser negativa (fazendo as células irem em sentido oposto de uma substância) ou positiva (fazendo estas células irem em sentido a favor de uma certa substância).
É o processo que permite a migração dos neutrófilos e outros leucócitos aos locais de infecção ou inflamação no organismo. Entre a migração de leucócitos, existe também a diferenciação de Monócitos em macrófagos.

A Quimiotaxia pode ser de dois tipos:
·             Positiva: O impulso químico leva as células a moverem-se em direção ao produto usado.
·             Negativo: Neste caso as células movem-se na direção oposta do estímulo químico.
Estes acontecimentos são importantes em casos de resposta imunitária do organismo. Este sistema permite que os neutrófilos e diversos leucócitos sejam encaminhados para a zona do corpo que se encontra infectada ou inflamada. Os mastócitos e basófilos libertam substâncias químicas que vão reagir com os glóbulos brancos, presentes no sangue, chamando-os para o local onde essas substâncias químicas foram libertadas.
Mas não é apenas neste caso que este processo acontece. As bactérias descobrem a comida através deste processo e também o usam para conseguir fugir do veneno. Até mesmo os espermatozóides usam a quimiotaxia para saberem o caminho a seguir até ao óvulo.

A Pesquisa da Quimiotaxia.

Com o desenvolvimento da microscopia, a deslocação das células começou a ser notado mas só depois de algumas pesquisas feitas a partir de 1881 é que a sua existência foi comprovada. Mesmo assim o significado da quimiotaxia, quer biológica quer patologicamente só foi aceite passados quase 50 anos em 1930, altura em que também foram escritas as definições fundamentais.
Com o passar do tempo e com a evolução tecnológica foi-se ficando a conhecer mais sobre este processo. As configurações mais relevantes para garantir a qualidade dos testes de quimiotaxia surgiram em 1950, e entre 1960 e 1970 potenciado pela biologia celular e bioquímica, descobriram-se novos procedimentos para estudar o movimento das células e fracções subcelulares que originam a quimiotaxia.

O conhecimento do fenómeno das migrações celulares têm vindo a aumentar e com toda a tecnologia disponível cada vez mais o Homem conhece este fenómeno. Ainda há poucos anos, em 2006, o professor Dennis Bray recebeu o prémio Microsoft pelo seu trabalho de pesquisa sobre a quimiotaxia da E. coli (Escherichia coli), bactéria presente no intestino humano.
Fonte: www.emforma.net › Sistema Imunitário

Nenhum comentário:

Postar um comentário